Complexo Ispon Complexo Ispon

Menu Mobile

Instituto Sul Paranaense de Radioterapia- Ispar

A Radioterapia é um método que utiliza radiações ionizantes para o tratamento do câncer. 

O objetivo principal da radioterapia é a cura das enfermidades ou o controle de alguns sintomas derivados da doença como dores e sangramentos, devido a sua ação antiálgica e anti-inflamatória.

 Instituto Sul Paranaense de Radioterapia - Ispar possui hoje dois aceleradores lineares para estes tipos de tratamento. Um acelerador com fótons para tratamento de doenças mais profundas e outro com fótons e elétrons, possibilitando o tratamento de doenças superficiais, como a prevenção de queloides. Estes aparelhos possibilitam a realização de tratamentos convencionais ou 2D, conformacionais ou 3D e tratamento com elétrons.

Tratamento Convencional (2D): Tratamento realizado a partir de radiografias simples, onde a área de tratamento é delimitada através da anatomia do paciente e localização do tumor. É uma técnica mais antiga para a localização do tumor. O volume de tratamento é maior, aumentando o potencial para complicações e efeitos colaterais.

Tratamento Conformacional (3D): Utiliza imagens de tomografia computadorizada, podendo ser associada a imagens de ressonância e PET-CT, para a definição tanto do tumor como das áreas sadias vizinhas. As imagens são inseridas num sistema de planejamento computadorizado possibilitando a imagem tridimensional do tumor. Esta definição mais precisa, tanto do tumor como dos tecidos sadios, possibilita um planejamento de tratamento individualizado, com margens menores e doses maiores, aumentando assim a probabilidade de cura e a diminuição de efeitos colaterais.

Tratamento com elétrons: O tratamento com elétrons é caracterizado por um decaimento rápido da dose ao penetrar o tecido. Desta forma os feixes de elétrons são altamente indicados para tumores superficiais como tumores de pele e queloides. Nesta modalidade de tratamento uma alta dose de radiação pode ser liberada na região de tratamento poupando os órgãos nas profundidades maiores.





Ispar